Workshop Empoderamento Feminino

Descrição do Workshop empoderamento feminino

Homens e mulheres criando um caminho para a equidade de gênero com o empoderamento feminino.

Workshop empoderamento feminino
empoderamento feminino - diversidade

Empoderamento Feminino

Segundo pesquisa da FGV, as mulheres representam apenas 7,8% dos cargos de liderança, que são relativos a cargos de diretoria e C-level, CFO, CEO entre outros. E nos conselhos de administração temos menos de 8% de mulheres. Estes números mostram a necessidade e a importância de falarmos sobre empoderamento feminino.

Empoderamento quer dizer fortalecer as competências e os comportamentos das mulheres, fazer com que elas acreditem que elas podem sim, apesar de ter poucos exemplos, chegar em cargos de liderança, ser presidente da empresa, chegar onde elas quiserem.

O problema começa na criação das crianças, que está carregada de estereótipos. Estereótipos de gênero são generalizações sobre as características e os comportamentos associados as mulheres e aos homens. Ensinamos as meninas a brincarem de casinha, de cozinha e com suas bonecas, já os meninos brincam com carrinho, constroem foguetes e robôs, e podem brincar na rua, se aventurando em descobertas enquanto as meninas ficam em casa e devem se comportar como uma mocinha.

Outro problema está no trabalho doméstico. Uma pesquisa da Plan International realizada com meninas de 6 a 14 anos no Brasil, identificou que elas são as principais responsáveis pelo trabalho doméstico em casa. Enquanto 81,4% das meninas arrumam sua própria cama, apenas 11,6% dos seus irmãos arrumam a cama. 76,8% das meninas lavam louça e apenas 12,5% dos meninos. 65,6% das meninas limpam a casa e apenas 11,4% dos meninos.

Esta divisão de tarefas está muito desigual pois este é mais um estereótipo que associa as responsabilidades e tarefas da casa as mulheres.

A Universidade da Colúmbia Britânica identificou em uma pesquisa que nas casas onde à mãe faz a maior parte das tarefas domésticas, as filhas tendem a escolher profissões como enfermagem e veterinária ou se tornam donas de casa. Nas casas onde o pai participa ativamente das tarefas domésticas, elas tendem a escolher carreiras nas áreas de engenharia e finanças.

Todas estas informações e pesquisas mostram que os pais, a família, amigos e professores têm uma forte influência na construção dos estereótipos de gênero.

Eficiência das Mulheres

Por outro lado, inúmeras pesquisas mostram que as mulheres têm capacidade nata de liderança, que equipes comandadas por mulheres são mais eficientes e que elas são respeitadas por seus colaboradores por sua capacidade na tomada de decisões e busca de resultados.

Mesmo assim, um estudo da E&Y constatou que a equidade de gênero no mundo corporativo só chegará no ano de 2095. No Brasil, a previsão é que as mulheres ganhem o mesmo que os homens somente em 2085 e apenas em 2126, 51% de mulheres ocuparão cargos de diretoria executiva.

Pesquisa sobre empoderamento feminino, realizada pelo Peterson Institute for International Economics com 22 mil companhias de 91 países, constatou que companhias que aumentaram a presença de mulheres em até 30% nos cargos de alta liderança aumentaram em 15% sua rentabilidade. Isto significa que o aumento de mulheres melhora o resultado financeiro e que o papel de ambos os sexos é fundamental.

DEPOIMENTO:

“Mais uma etapa da nossa jornada!
E como sempre foi transformador!
Obrigada pela parceria!
Tenho certeza que todas aprendemos muito hoje!

Érica Marques
Gerente HRPB
USIMINAS

Empoderamento Feminino

dicas para ajudar as mulheres a alcançarem posições mais altas em suas carreiras:

Aprenda a fazer uma boa gestão de seu tempo. Isso permite o equilíbrio entre trabalho, família e interesses pessoais. É possível conciliar as esferas da sua vida e ser bem-sucedida em todas elas, acredite nisso. Organizar o tempo através de uma agenda bem-feita ajuda a eleger prioridades e identificar o grau de importância e o tempo necessário para realizar cada atividade.

Trabalhe sua autoestima. A Síndrome do Impostor trata-se de uma desordem que faz as pessoas se sentirem incapazes de internalizarem seus feitos na vida. Independentemente do nível de sucesso alcançado ou das provas de competência que tenham sido dadas, elas se sentem como fraudes. Infelizmente muitas mulheres sofrem desse mal e se boicotam profissionalmente, acreditam que chegaram onde estão por sorte e não se lançam às oportunidades. Confie mais em você e aplique para cargos mais altos, entenda que o sucesso é fruto da sua qualificação e competência.

Faça conexões estratégicas dentro da empresa. As mulheres precisam fazer articulações políticas em seu ambiente de trabalho, se relacionando com pessoas que podem ajudá-las a crescer dentro da empresa. Chame aquele gerente ou diretor para almoçar, convide aquela pessoa que pode ser chave para sua promoção em algum momento para o happy hour, pense em sua carreira e se relacione mais no trabalho.

Pratique a autopromoção. Quando você conseguir conquistar algo em seu trabalho, você deve compartilhar isso com sua equipe, com as outras equipes e principalmente com as lideranças. Isso não é vaidade, você não está se exibindo, você simplesmente está se lançando e mostrando do que é capaz. Os resultados são consequência de um bom trabalho.

Saiba negociar. Quando conquistar um cargo de liderança, entenda que você chegou lá por seus próprios méritos, que os líderes de sua empresa te consideraram a pessoa mais adequada e preparada para aquela posição e que, por isso, você pode e deve negociar os termos de sua promoção. Conseguindo uma boa negociação, é possível que você disponha de mais tempo para sua família e seus interesses pessoais e consiga organizar melhor sua vida, sem deixar de lado o trabalho que deverá ser feito no novo cargo.

Gerencie a culpa. É possível ter uma carreira de sucesso sem negligenciar a família e um dos segredos para fazer isso é se dedicar totalmente aos filhos quando estiver com eles. Se você só tiver uma hora por dia para cumprir esse papel, faça com que esse momento seja prazeroso e especial. É melhor passar uma hora completamente dedicada aos seus filhos, do que horas com eles sem lhes dar atenção.

Uma pesquisa realizada recentemente por uma Universidade Americana com homens e mulheres de 24 países comprovou que uma mãe que trabalha fora de casa faz bem a seus filhos.

A explicação é que quando a mulher está realizada na vida pessoal e profissional, ela passa aos filhos a mensagem de que é possível encontrar o equilíbrio e ensina às crianças que trabalho e esforço são os caminhos para conseguir as coisas na vida. De acordo com a pesquisa, as filhas de mães que trabalham são mais propensas a conquistar cargos de liderança, ganhar salários mais altos e balancear sua vida.

Sororidade entre as mulheres

A palavra sororidade tem um significado muito simples: é a união entre as mulheres, como uma aliança, uma irmandade. Ela é baseada na empatia e no companheirismo. E tem como propósito desconstruir a tradicional rivalidade que está associada ao gênero feminino.

A sororidade tem como princípio o não julgamento prévio entre as próprias mulheres para que não sejam fortalecidos os estereótipos preconceituosos criados por uma sociedade machista e patriarcal. A ideia de que as mulheres são extremamente competitivas e que não são amigas de verdade, é algo que foi construído como uma crença e que acreditamos desde que somos pequenas. Com isto as mulheres não se unem e não lutam juntas pelos seus direitos e pela igualdade de gênero.

Drible a Síndrome da Impostora

As pessoas que sofrem com a síndrome da impostora são incapazes de sentir merecimento pelo sucesso. Não importa o nível alcançado ou quaisquer provas de suas competências, essas pessoas permanecem convencidas de que não merecem o sucesso alcançado e que de fato são uma fraude.

As provas de sucesso são consideradas simples sorte. Elas sentem que estão enganando as outras pessoas fazendo-as acreditar que são mais inteligentes do que são na realidade. A psicóloga americana Valerie Young afirma que “não existe um botão mágico que nos faça mudar de ideia sobre nós mesmas, mas ajuda saber que não existe uma supermulher”. Quando você sentir medo, respire fundo, se acalme, pense positivamente, assim você terá mais coragem para seguir em frente!

Pratique o empoderamento feminino!